Arquivo para agosto \23\UTC 2011

PROMOÇÃO: Um Ano de Fã Blog – Pt II


Dando continuidade ao nosso mês de aniversário com MUITOS prêmios, vamos dar início a segunda e última parte !!!

Será postado um QUIZZ aqui no Fã Blog, contendo perguntas sobre o musical Mamma Mia! e sobre a carreira do ator Cleto Baccic !!!

Será bem simples, a PRIMEIRA pessoa que responder nos COMENTÁRIOS do post corretamente a todas as questões, leva um KIT Mamma Mia!, contendo:

– Programa de Luxo autografado
– Caneca Mamma Mia!
– Par de chinelo Mamma Mia!
– Mouse Pad personalizado
– Chaveiro personalizado

Então fiquem atentos, há qualquer momento o quizz entrará no ar !!!

PS* Lembrando que a participação será SOMENTE através dos comentários NO POST DO QUIZZ !!! Preenchimento de nome e e-mail são obrigatórios.

PS** As pessoas que já comentaram no Blog alguma vez, seus comentários são adicionados instantaneamente, os que nunca comentaram vão passar por aprovação, MAS o que vai contar é o horário do comentário, então se seu comentário ali aparecer primeiro, não significa que você já ganhou !!!

QUIZZ:

– Musical Mamma Mia!

1. Em que ano o musical Mamma Mia! teve sua estréia no West End?

2. Qual o nome do primeiro ator que interpretou o banqueiro Harry Bright no musical Mamma Mia!?

3. Qual o nome da roteirista de Mamma Mia! ?

4. Quais os nomes dos responsáveis pelas composições musicais de Mamma Mia! ?

5. Em que data, o musical Mamma Mia! teve sua estréia para o público aqui no Brasil?

6. Qual o nome do personagem de Baccic, em Tieta do Agreste?

7. Qual o nome do seriado que foi ao ar na BAND e MTV, que Baccic participou?

E A VENCEDORA DO NOSSO QUIZZ FOI A @ALEZINHA ANGEL, PARABENS !!!!!!!!

Anúncios

CHAMADO CIDADÃO


Pare de pagar por uma conta que não é sua!


Conheça a campanha “Energia Justa” que reduz o custo da tarifa desse serviço em 77%. Para isso, basta exigirmos que seja cumprida a lei.


Participe do abaixo-assinado encabeçado pela FIESP. 

http://www.energiaaprecojusto.com.br/

Se hoje você não paga mais CPMF foi graças a uma mobilização como essa!!!!


 


A energia brasileira é uma das mais caras do mundo, quando tem tudo para ser a mais barata. 
Isso pode mudar. Isso tem que mudar


  • No Brasil, 77% de toda a energia produzida vêm de usinas hidrelétricas. Para viabilizar essa construção, o governo faz contratos de concessão com empresas e o investimento é recuperado cobrando-se um valor adicional nas contas de luz.


  • As concessões das usinas mais antigas do Brasil venceram em 1995. Na época, as companhias receberam compensações equivalentes a aproximadamente 144 bilhões de reais, em valores de hoje. Além disso, tiveram seus contratos prorrogados sem leilão, sem concorrência, por mais 20 anos, totalizando uma media de 56 anos de concessão. Esses contratos vencerão de novo em 2015.
  • A lei atual não permite novas prorrogações e determina que sejam feitos leilões para novos períodos de concessão. Os novos leilões devem ser realizados pelo critério de menor tarifa. Hoje, o preço médio da energia comercializada por essas usinas é R$ 90,98 por megawatt/hora. No entanto, nos leilões mais recentes de concessão (usinas de Santo Antonio, Jirau, Belo Monte e Teles Pires) o preço médio dessa energia, descontada a amortização dos investimentos, foi R$ 20,69 por megawatt/hora, em média. Ou seja, 77% mais barata.


  • Com a realização de novos leilões para os contratos que vencerão a partir de 2015, estima-se que a economia para os consumidores poderá chegar a 918 bilhões de reais, em 30 anosOu 30 bilhões de reais por ano, o que daria para manter mais dois programas sociais do tamanho do Bolsa Família.

    FAÇA PARTE DESTA CAMPANHA:

     

Cleto Baccic no Castelo de CARAS!


A revista estará nas bancas a partir de AMANHÃ !!! Garanta a sua !!!!!!!!!!

 Para o ator e produtor Cleto Baccic (41), viajar a Nova York é diversão tão garantida quanto levar uma criança a uma loja de brinquedos. Nome já consagrado no circuito dos musicais, o carismático pernambucano nascido em Garanhuns preenche seus dias na metrópole com uma verdadeira maratona para assistir a maior quantidade possível de espetáculos da Broadway. A estada mais recente, porém, incluiu providencial pausa. “Meu ritmo em São Paulo é bem puxado e, apesar de querer ver de tudo em Nova York, eu estava precisando desacelerar um pouco. Aqui, recobrei as energias”, conta ele sobre a visita ao Castelo de CARAS, em Tarrytown, a cerca de 40 minutos da Big Apple.

Em cartaz na capital paulista com a versão brasileira de Mamma Mia!, produção que desde a estreia, em Londres, há 12 anos já arrecadou mais de 2 bilhões de dólares e foi vista por 42 milhões de pessoas no mundo, Cleto celebra o crescimento dos musicais no País. “O gênero caiu no gosto do brasileiro. Há opções para crianças e adultos, o mercado está aquecido e para nós, atores, este espaço é valioso”, avalia ele, que iniciou a carreira no teatro encenando Shakespeare (1564-1616), Tom Stoppard (74) e Fassbinder (1945-1982) e brilhou também como o gato Rum Tum Tugger, em Cats, que antecedeu Mamma Mia! no Teatro Abril.

– Na sua opinião, qual é o segredo do sucesso dos musicais?

– A maioria deles tem uma proposta leve, divertida e ao mesmo tempo traz conteúdo. De uns 15 anos para cá, houve uma retomada do gênero. Empresas voltaram a investir, produtores brasileiros compraram direitos de peças bacanas, teatros foram reformados para oferecer uma estrutura mais adequada. Acho que o brasileiro tinha curiosidade, mas não sabia muito bem do que se tratava. Sou agradecido pelo universo nos mandar essa oportunidade agora, porque quando era mais jovem, queria trabalhar nesta área, mas não tinha como. Ou você morria de fome ou fazia outra coisa. Eu fui ser comissário de bordo, porque não dá para morrer de fome! (risos)

– Mamma Mia! é sucesso em palcos no mundo todo e também no cinema, com Meryl Streep, Pierce Brosnan e Colin Firth, que fez o mesmo papel que você. Como lidou com a pressão?

– Fazer um musical já conhecido é recompensador, mas, claro, existe uma cobrança. Na fase de escolha de elenco, você passa por uma banca examinadora de estrangeiros super criteriosos e pensa: ‘Será que eu seguro a onda?’ Invariavelmente, alguns críticos vão tentar comparar o seu trabalho com o do ator que fez o mesmo papel no cinema, mas são produtos diferentes.

– O espetáculo estreou em novembro de 2010 e fica em cartaz até o fim do ano. Você ainda sente aquele friozinho na barriga?

– Temporada longa traz o risco de ‘cair no automático.’ Por isso, a mão firme do nosso diretor residente Floriano Nogueira é tão importante. Ele mantém o espetáculo ‘vivo’, cobra o elenco, exige ‘limpeza’ de coreografia, ‘intenção’ de personagem. O crescimento dos atores é diário, o friozinho na barriga também…

– Como você se prepara?

– Chego no teatro uma hora e meia antes, gosto de repassar as falas e tentar imprimir outra sonoridade ao personagem. Há ainda o tempo da caracterização e a concentração. São seis apresentações por semana… Me preparo com aulas de dança, musculação e canto.

– Você ainda é sócio de uma agência de artistas…

– O Atelier de Cultura é como uma butique de artistas na qual desenvolvemos o gerenciamento de carreira. Temos atores, músicos, maestros, diretores cênicos… Mas não somos um grupo de teatro, cada um tem seus projetos. No fundo, o artista é como um comércio: se abro as portas da lojinha mas ninguém sabe, como espero que cheguem até mim? As redes sociais são ferramentas que estão aí para ajudar, e muito, na nossa divulgação. O contato com os fãs é fundamental.

– Das peças que assistiu em Nova York, o que destacaria?

– Pergunta difícil! Fiquei extasiado com The Book of Mormon, que ganhou nove prêmios Tony, inclusive o de Melhor Musical em 2011. How To Succeed In Business Without Really Trying também me surpreendeu, sobretudo pela interpretação do Daniel Radcliffe. The Addams Family, que sucederá Mamma Mia! no Teatro Abril, e o comovente Billy Elliot também são espetáculos obrigatórios.